Pesquisa de satisfação do paciente

Embora nem todos concordem exatamente sobre o que ou como medi-la, a pesquisa de satisfação do paciente tornou-se parte integrante do sistema atual de prestação de cuidados de saúde.

 

Os líderes de saúde, médicos, secretárias e outros funcionários do setor entendem que maximizar a satisfação do paciente é uma meta importante. As clínicas e consultórios médicos se esforçam para que seus pacientes fiquem satisfeitos não apenas com seus cuidados de saúde e seus resultados, mas também com os aspectos não clínicos de suas experiências com os pacientes. Por essas razões, as organizações de saúde há muito buscam entender as perspectivas de seus pacientes por meio de pesquisas de satisfação do paciente.

 

Atendimento humanizado na sua clínica

 

Dada a importância da satisfação do paciente na assistência à saúde hoje, é útil definir e descrever os elementos do cuidado ou as interações paciente/clínica que a influenciam. Embora nem todos concordem exatamente sobre o que ou como medi-la, a satisfação do paciente tornou-se parte integrante do sistema atual de prestação de cuidados de saúde.

 

O que é satisfação do paciente?

 

A satisfação do paciente é uma medida de desempenho da qualidade dos cuidados de saúde. Os autores deste estudo Hastings descrevem três domínios da satisfação do paciente: a prestação de cuidados médicos essenciais; tratamentos procurados pelos pacientes e seus familiares (que podem ou não ser favoráveis ​​ao bom estado de saúde); e as atividades e comportamentos dos gestores que compreendem o cuidado compassivo e a salvaguarda da dignidade humana. Embora essas categorias demonstram aspectos da experiência de um paciente que podem ser avaliados, a satisfação do paciente é amplamente subjetiva e depende das percepções do paciente em relação às suas expectativas. Devido à qualidade individual da satisfação do paciente, é difícil definir e medir.

 

Uma vez que a satisfação do paciente não é diretamente observável, as pesquisas de satisfação do paciente são comumente usadas como um dispositivo de medição. As pesquisas de satisfação do paciente tentam traduzir os resultados subjetivos em dados significativos, quantificáveis ​​e acionáveis. Medir a satisfação do paciente e extrair informações úteis e relevantes envolve determinar quais aspectos da satisfação do paciente medir, desenvolver perguntas confiáveis ​​e válidas, mostrar indivíduos aleatoriamente de dentro de uma população de pacientes e usar técnicas padrão, como pesquisas por e-mail, telefone ou pessoalmente.

 

Experiência do paciente: O novo conceito para aderir hoje

 

As pesquisas de satisfação do paciente capturam avaliações auto-relatadas do paciente em relação a vários pontos de contato durante sua experiência de atendimento médico. Dependendo de qual aspecto da satisfação do paciente está sendo medido, os exemplos podem incluir capacidade de resposta da equipe, comunicação do médico, habilidade técnica e ambiente clínico. Se os pacientes estão “satisfeitos” depende de suas expectativas sobre esses diferentes pontos de contato.

 

As pesquisas de satisfação do paciente podem ser criadas e administradas internamente, mas muitas clínicas contam com fornecedores terceirizados com experiência no desenvolvimento, administração e interpretação de pesquisas de satisfação do paciente estatisticamente válidas.

 

Melhorando a Satisfação do Paciente

 

Melhorar as pontuações de satisfação do paciente e a experiência geral do paciente com o atendimento é uma das principais prioridades dos sistemas de saúde. Uma das cinco recomendações principais para melhorar a experiência do paciente:

 

  1. Use a satisfação do paciente como uma medida de equilíbrio – não um motivador para resultados.
  2. Avalie todas as equipes de atendimento – não os prestadores de serviços individuais.
  3. Use análises de saúde para entender e agir com base nos dados.
  4. Alavancar tecnologia inovadora.
  5. Melhore o engajamento dos funcionários.

 

As organizações de saúde estão trabalhando cuidadosamente para melhorar a satisfação do paciente e a experiência do paciente no atendimento. Afinal, a experiência do paciente no atendimento é um domínio crítico de qualidade usado para avaliar o desempenho das clínicas médicas:

 

5 práticas para profissionalizar sua gestão

 

  • Melhorar a experiência de cuidado do paciente.
  • Melhorar a saúde das populações.
  • Reduzindo o custo per capita da saúde.

 

Embora existam inconsistências quando se trata de como a indústria (sistemas, fornecedores, clínicas, etc.) define a experiência do paciente, a pesquisa demonstra a conexão clara entre melhorar a experiência do paciente e fornecer um atendimento de maior qualidade. Os sistemas de saúde têm a motivação certa, os incentivos certos e as ferramentas certas, e existem quatro recomendações principais que podem melhorar significativamente as melhorias na experiência do paciente nos sistemas de saúde, usando a experiência do paciente como uma medida de equilíbrio para alavancar tecnologia inovadora.

 

Recomendação nº 1: Use a satisfação do paciente como uma medida de equilíbrio – não um motivador para resultados

 

Melhorar a experiência do paciente parece uma abordagem de bom senso para melhorar os resultados. Se uma paciente se sente bem com seu médico e os cuidados que está recebendo, então é mais provável que ela cumpra as recomendações de tratamento. Mas um paciente pode ter uma experiência positiva e ainda assim terminar com um resultado negativo, como um diagnóstico de câncer. Os sistemas de saúde devem usar a satisfação do paciente como uma medida de equilíbrio; não é um motivador para resultados. As medidas de equilíbrio capacitam os sistemas de saúde a fazer melhorias significativas na qualidade dos cuidados sem perder de vista os potenciais impactos negativos

 


Recomendação nº 2: Avalie equipes inteiras de atendimento – não prestadores individuais

 

As pesquisas mais eficazes captam a experiência geral de cuidado; eles capturam os dados como um todo, em vez de fazer perguntas pontuais sobre as interações de cuidados individuais. A resistência à metodologia de satisfação do paciente e a credibilidade resultante dos dados ocorrem quando pontuações negativas são atribuídas a fornecedores individuais. As pesquisas devem avaliar mais do que apenas fornecedores individuais; eles devem avaliar toda a equipe de atendimento e fazer perguntas como, “como é que seus enfermeiros e médicos te trataram?” O valor está em compreender a eficácia de toda a equipe assistencial; não médicos individuais.

 

 

Recomendação nº 3: Aproveite a tecnologia inovadora

 

 

As inovações em tecnologia de saúde estão revolucionando a experiência do paciente. De ferramentas interativas que melhoram a orientação e reduzem o estresse para pacientes e visitantes, até a tecnologia de serviço de localização em tempo real que melhora o fluxo do paciente e reduz os tempos de espera (avaliações positivas começam a distorcer negativas quando os tempos de espera excedem 20 minutos, de acordo com o Vitals.com 2015 Relatório Anual do Tempo de Espera), as organizações de saúde podem usar tecnologia inovadora para melhorar a experiência do paciente.

 

Clínica conectada: tenha uma Gestão Global

 


Recomendação nº 4: Melhorar o engajamento dos funcionários

 

 

As organizações de saúde estão cada vez mais percebendo e entendendo como o envolvimento dos funcionários afeta a experiência do paciente. Sem uma equipe engajada, os sistemas e ferramentas corretos para tomar decisões baseadas em dados (e funcionários que sabem como usá-los) e uma cultura dedicada a alcançar o objetivo, a experiência do paciente será prejudicada. Boas pontuações de satisfação do paciente falam sobre a saúde geral de uma organização, incluindo sua equipe.

 

O que eu faço com os resultados?

 

Analisar os dados pode ser a parte mais complexa do processo de pesquisa. E, se a sua clínica não tem tempo ou recursos para analisar os dados da sua pesquisa, considere terceirizar esta etapa para uma empresa especializada em análise de dados de saúde.

 

Embora você não tenha que agir de acordo com todas as sugestões que seus pacientes lhe derem, você deve agir sobre os itens-chave que estão causando insatisfação. Lembre-se de que seu objetivo é melhorar a qualidade, não colocar a culpa.

 

Coworking médico: conheça 4 benefícios

O coworking médico é uma coisa relativamente nova. Embora o coworking no ambiente tradicional de escritório tenha se tornado muito popular e já exista há várias décadas, há poucas instalações de coworking médico que trazem os mesmos tipos de benefícios aos médicos que os mesmos já utilizados aos profissionais de coworking de escritórios tradicionais.

 

Eles são bastante populares entre empreendedores de tecnologia, escritórios de advocacia, consultores individuais e outros que desejam a liberdade de um espaço de escritório sem o incômodo de todas as despesas gerais.

 

O que é um espaço de coworking médico?

 

Um espaço de coworking é um arranjo de escritório onde você tem um espaço junto com outras pequenas empresas e empreendedores. Você compartilha espaço, bem como recursos, o que lhe dá a vantagem de ter um escritório sem todas as desvantagens de ter que administrá-lo você mesmo.

 

Coworking médico em evidência no mercado

 

 

O importante a lembrar, porém, é que, embora possa haver dezenas de empresas conectadas a um espaço de coworking, cada uma ainda é sua própria entidade. O fato de os membros do espaço de coworking compartilharem um endereço de correspondência, uma cozinha e uma sala de reunião com o cliente não importa – eles ainda são independentes uns dos outros.

 

Como um profissional de saúde em um espaço de coworking médico, você compartilha espaço, equipamento médico, área de recepção, móveis e outras despesas, mas ainda permanece um médico independente.


Espaço de Coworking Médico: conheça 4 benefícios

 

  1. Mais foco nos pacientes com o coworking médico

     

O coworking médico elimina muito do trabalho árduo diário associado à administração do seu próprio consultório médico. As tarefas de gerenciamento de escritório são delegadas a outra pessoa, assim como a maioria dos problemas operacionais e logísticos.

 

5 Passos para Implementar a LGPD

 

Os espaços de coworking médico são projetados para que você possa passar menos tempo se preocupando com o gerenciamento e mais tempo cuidando de seus pacientes. Você pode dar-lhes atenção adicional e ajudá-los a se sentirem vistos e ouvidos, sem se preocupar com o fato de que outras partes de sua empresa estão começando a ficar para trás.

 

     2. O Coworking médico te possibilita mais eficiência financeira

 

Custa muito dinheiro para começar sua própria clínica médica e é preciso ainda mais dinheiro para mantê-la funcionando. Ao optar pela abordagem de coworking médico, você pode economizar muito e usar os recursos de que dispõe de maneiras mais eficientes e econômicas. Com o coworking médico, você não precisa gastar muito dinheiro divulgando seus serviços e comprando ou alugando escritórios.

 

Todos que fazem parte do espaço de coworking contribuem e ajudam a manter o local funcionando sem grandes investimentos. Isso possibilita a você gastar seu dinheiro de outras maneiras, que possam beneficiar melhor você, seus pacientes e os outros profissionais de saúde que podem estar trabalhando com você.

 

5 práticas para profissionalizar sua gestão

 

       3.Flexibilidade

 

Outro grande benefício do coworking médico é a flexibilidade que ele oferece aos profissionais de saúde. Quando você está começando, o coworking médico é uma ótima maneira de construir sua clientela e fazer seu nome na área médica sem ter que se endividar. Ele permite que você se concentre mais em fornecer um ótimo atendimento ao paciente e menos na logística de administrar seu próprio consultório ou lidar com a política do escritório em um consultório maior administrado por alguém cujos valores são diferentes dos seus. Os espaços de coworking médico oferecem muita flexibilidade nos planos, então você pode escolher uma opção que se encaixa no seu orçamento.

 

Atendimento humanizado na sua clínica

 

    4. Oportunidades de networking

 

Ao ingressar em um espaço de coworking médico, você estará cercado por profissionais de saúde de todos os tipos. De médicos massoterapeutas a especialistas em medicina esportiva, você terá oportunidades de interagir e aprender com os melhores em uma variedade de campos. Isso permite que você amplie seus conhecimentos, o que, por sua vez, torna mais fácil fornecer aos seus pacientes um nível mais alto de atendimento. Você pode compartilhar as informações que está aprendendo com eles ou pode encaminhá-los a outros profissionais no mesmo espaço para dar-lhes um tratamento mais completo.

 

 

Sempre foi importante para a profissão médica evoluir com o tempo e encontrar maneiras de aliviar as pressões sobre os médicos. Quando você considera as eficiências que os espaços de coworking médicos oferecem – tanto financeiros quanto não financeiros – você pode ver por que eles estão sendo procurados por muitos médicos como uma alternativa melhor quanto a locação ou compra de um imóvel.

5 Passos para Implementar a LGPD

Neste conteúdo – 5 Passos para Implementar a LGPD, queremos propor caminhos para facilitar a implantação da LGPD na sua clínica médica. Mesmo após, quase um ano após entrar em vigor, a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) ainda é vista como um grande desafio para a maioria das empresas brasileiras. Desde o início de agosto, as multas para quem não estiver adaptado podem ser aplicadas, e não se tratam de sanções leves: o texto prevê multas de até R$ 50 milhões ou de percentuais do faturamento para determinadas infrações.

 

Criada após um debate de vários anos, a LGPD estabelece normas para que as empresas e organizações guardem, usem e compartilhem dados pessoais de clientes, tanto no meio online quanto no físico. A legislação determina que o cidadão dê seu consentimento expresso sobre quais de suas informações pessoais poderão ser usadas, sobre a forma de seu emprego e até mesmo a pedir sua retirada dos registros.

 

5 práticas para profissionalizar sua gestão

 

Além disso, a nova lei reforça ainda mais a responsabilização de empresas por eventuais vazamentos e roubos de dados – algo que se tornou notório nos últimos anos em algumas corporações. Houve o caso, ainda, da divulgação ilegal de informações relacionadas a mais de 220 milhões de CPFs no Brasil.

 

LGPD INFORMAÇÕES GERAIS

 

A LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), criada no final de 2018, entrou em vigor em setembro de 2020. Em 02/08/2021, a possibilidade de punições para quem violar a lei começou a valer.

 

Baseada no Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados (GDPR, na sigla em inglês) da União Europeia, a lei brasileira adequa o processamento de informações pessoais no país.

 

Lei a lei na íntegra

 

O que a LGPD faz?

 

A LGPD visa proteger os direitos de liberdade e de privacidade, criando normas a serem seguidas por empresas e governos para a coleta e o tratamento de dados pessoais (como nome, CPF, endereço) e de dados sensíveis (como biometria e informações sobre política e religião). A lei cria um cenário de segurança jurídica ao padronizar práticas para a proteção dessas informações.

 

Atendimento humanizado na sua clínica

 

Dois destaques das bases legais que merecem atenção inicial:

 

  1. Base legal consentimento: em situações previstas pela lei, uma empresa (pública ou privada) deve pedir autorização para o titular dos dados pessoais para coletá-los e usá-los. Caso a pessoa não aceite, nada poderá ser feito com suas informações pessoais nestes casos. 

 

  1. Finalidade: as organizações devem informar de modo claro a finalidade e o objetivo da coleta dos dados pessoais.

 

A lei também define, entre outras coisas:

 

  • O papel da ANPD (Autoridade Nacional de Proteção de Dados Pessoais);
  • As responsabilidades de quem coleta dados pessoais; 
  • A criação de regras para gestão de riscos; 
  • Penalidades no caso de falhas de segurança.

 

A eMed, ciente de seu papel como operadora de dados por meio do Sistema de Gestão, desenvolveu o ambiente no software para adequação da sua clínica médica, porém é necessário você definir os processos, se ajustar às normas, entre outras medidas, para evitar multas ou processos desnecessários e que podem ser evitados. 

 

Quem precisa se adequar a LGPD?

 

Todas as empresas que trabalham com dados de terceiros, dados pessoais sensíveis, que no caso das clínicas e consultórios médicos são os pacientes, colaboradores, fornecedores e outros usuários, precisam se adequar à LGPD. Por exemplo, a secretária médica utiliza agenda com nome, telefone e endereço dos pacientes, fornecedores etc., ela deve proteger estas informações, pois caso haja algum vazamento dos dados, caso eles sejam expostos e isso venha a causar algum dano ao proprietário do dados, a clínica estará sujeita a multas e sanções por descumprir o dispositivo da LGPD – que é proteção de dados.

 

Aumente o faturamento na sua clínica

 

Qual o nível de adequação à LGPD a sua clínica ou consultório médico possui?

 

Passo 1:

 

Montar um comitê de adequação 

 

Importante: Este comitê é indicado, pois a LGPD abrange todos os dados, não apenas os de seus pacientes, mas também de colaboradores, parceiros, etc. Desta forma, praticamente todos os setores da clínica que recebem algum dado precisam se adequar, como o pessoal do RH que geralmente tem armazenados os dados dos funcionários, o pessoal do financeiro, que por sua vez tem os dados dos funcionários, clientes, parceiros de negócio, entre outros.

 

Por essa razão se recomenda que seja criado o comitê, mas sabemos que o tamanho da empresa pode afetar tal criação, em alguns casos a formação do comitê será ignorada, mas o passo a seguir não pode ser ignorado. Neste passo selecionamos as pessoas chaves da organização para formar o comitê multidisciplinar, visando a adequação à LGPD.

 

Passo 2:

 

Definir o encarregado de privacidade de dados (DPO)

 

Importante: Pela lei toda e qualquer empresa (independente de tamanho ou número de funcionários) é obrigada a identificar um responsável de dados. No início da LGPD sua redação obrigava que, além de indicar a pessoa responsável, a mesma teria, ainda, que ser do quadro da empresa. Essa questão foi editada na versão vigente da lei e agora podemos ter um responsável que seja de alguma consultoria, por exemplo, não sendo mais necessário que o responsável de dados seja do quadro de funcionários da clínica.

 

Mas lembre, mesmo sendo um serviço terceirizado, a lei cobra que essa pessoa seja identificada como responsável pela privacidade dos dados da sua empresa. Este segundo passo é muito importante, pois é uma obrigação legal cobrada pela LGPD, conforme abaixo.

 

Dicas para abrir sua clínica médica

 

Passo 3:

 

Avaliar processos da clínica e todas as entradas de dados bem como seu tratamento

 

Importante: Lembre-se, a adequação muitas vezes pode não ser dos seus processos, onde algum ajuste de permissão de acesso já pode lhe ajudar. Em outros casos, você pode precisar apenas coletar um consentimento ou localizar dados que não são necessários, ajustar o processo e não mais coletar estes dados. Tudo vai depender do modelo de negócio da sua clínica ou consultório médico e como você pretende seguir.

 

Assim que tiver todos os dados e for começar os ajustes, você pode precisar de sua equipe/área jurídica, pois pode ser necessário alguma questão contratual com colaboradores e parceiros. Neste passo precisamos identificar todas as entradas de dados e o fluxo destes dentro de sua empresa.

 

Passo 4:

 

Adequar os processos internos para que estejam aderentes à LGPD.

 

Importante: Lembre-se, a adequação muitas vezes pode não ser dos seus processos, onde algum ajuste de permissão de acesso já pode lhe ajudar. Em outros casos, você pode precisar apenas coletar um consentimento ou localizar dados que não são necessários, ajustar o processo e não mais coletar estes dados. Tudo vai depender do modelo de negócio da sua clínica ou consultório médico e como você pretende seguir.

 

Assim que tiver todos os dados e for começar os ajustes, você pode precisar de sua equipe/área jurídica, pois pode ser necessário alguma questão contratual com colaboradores e parceiros. Após realizar o mapeamento dos seus dados no passo anterior, este é o momento em que você terá uma visão mais específica do que será necessário ajustar para ficar adequado à LGPD.

 

Passo 5:

 

Adequar os colaboradores à LGPD

 

Importante: Mantenha sempre suas políticas atualizadas e seus colaboradores atualizados, desta forma você conseguirá seguir o caminho traçado nos passos anteriores e evitar problemas futuros. Após realizar o mapeamento dos seus dados no passo anterior, este é o momento em que você terá uma visão mais específica do que será necessário ajustar para ficar adequado à LGPD.

 

Clínica conectada: tenha uma Gestão Global

 

Estes passos são uma sugestão de como começar a trabalhar com a adequação à LGPD, mas não é o único caminho, bem pelo contrário, a adequação depende muito da maturidade que a empresa já apresenta com a privacidade de dados e questões de segurança. Políticas de privacidade de dados, dependendo do caso, podem ser necessárias.

 

A política de segurança da empresa também poderá precisar de uma boa revisão e ajustes. Estes alguns exemplos que, claro, vão depender do tamanho da clínica e seu modelo de negócio. 

 

5 práticas para profissionalizar sua gestão

O conteúdo – 5 práticas para profissionalizar sua gestão, traz ações que devem ser priorizadas pelo gestor ou gestora e algumas dicas de ferramentas que podem facilitar e organizar o dia a dia da operação na clínica médica.

 

Na verdade, gerenciar clínicas médicas pode ser um desafio para os médicos. A gestão de consultório envolve várias responsabilidades simultâneas, como organização de dados, controle financeiro, administração de pessoal, marketing e experiência do paciente, entre outras.

 

Como muitos especialistas não possuem conhecimento técnico em administração de empresas, podem enfrentar dificuldades na área da gestão de clínicas médicas. Portanto, é fundamental o desenvolvimento de estratégias que garantam a praticidade e a produtividade do dia a dia, na movimentada rotina desses profissionais de saúde. Mais do que isso, ferramentas que auxiliam na ampliação dos serviços e na melhoria dos resultados.

 

Dicas para abrir a sua clínica médica

 

Clínica conectada: tenha uma Gestão Global

 

  1. Softwares médicos para organização de dados e acesso rápido

 

Hoje, os softwares médicos auxiliam na automação de todos os processos internos do consultório. O armazenamento de prontuários eletrônicos e dados de médicos, financeiros e administrativos, estão entre suas principais funcionalidades.


Dessa forma, o gerenciamento de clínicas médicas torna-se mais rápido e eficiente. A partir daí, também desobriga os profissionais que atuam em funções diversas e de escritório, além de estudar.


Por exemplo, alguns programas até enviam lembretes e pedem para confirmar a consulta com o paciente. Sem dúvida, é um grande benefício, pois é frequente o paciente faltar à consulta.


Hoje, com a ampliação da telemedicina no Brasil, também existem sistemas que oferecem teleconsultas, telediagnósticos, além de prescrições e certificados digitais. Tudo isso garantindo a segurança dos dados do paciente e o armazenamento em nuvem.

 

Digitalização na saúde – os benefícios de investir em tecnologia

 

  1. Serviço focado na experiência do paciente

 

Os avanços na tecnologia mudaram as relações de serviço. Atualmente, o cliente é o protagonista: ele tem mais poder de decisão em mãos e exige uma ótima experiência durante todo o processo de atendimento. Além disso, influenciam nas escolhas de consumo de amigos, parentes e seguidores na internet.

 

O paciente também se enquadra nesse cenário. Ele passa por uma jornada antes de chegar ao seu consultório. São, basicamente, cinco etapas: identificação dos sintomas, decisão pelo agendamento da consulta, busca do melhor médico, serviço de saúde e sua posterior avaliação.

 

É, portanto, fundamental compreender e mapear a trajetória do paciente, a fim de melhorar a experiência clínica. Consequentemente, aumentam as chances de adquirir mais pacientes e fidelizar mais.

 

Na verdade, eles relatam problemas fáceis de resolver. Confira algumas ações que aumentam a satisfação do usuário:

 

  • Possibilidade de marcação de consultas online;
  • Consultório confortável;
  • Evite atrasos;
  • Estabelecer um padrão de qualidade para os serviços;
  • Reduzir o tempo de espera entre as etapas da jornada do paciente;
  • Atendimento humanizado;
  • Investimento em tecnologias para um atendimento mais ágil e diagnósticos mais assertivos.

 

Experiência do paciente: O novo conceito para aderir hoje

 

  1. Boa gestão financeira

 

Sem dúvida, uma boa gestão financeira é um dos principais requisitos para evitar perdas e diminuir custos clínicos. Para isso, é necessário desenvolver um planejamento assertivo de despesas e investimentos.

Nesse sentido, é importante reconhecer e mensurar os recursos envolvidos em todas as áreas da clínica. Portanto, você terá os valores disponíveis para decidir que direção tomar e como aplicar cada um deles de forma eficiente.

 

Seguem algumas dicas para ajudá-lo nessa meta:

 

  • Tenha um controle adequado do seu fluxo de caixa;
  • Não misture contas pessoais e clínicas;
  • Automatizar processos internos;
  • Ter um bom planejamento financeiro;
  • Acompanhar despesas e receitas;
  • Use um bom sistema de gerenciamento de clínica médica.

 

Fluxo de caixa positivo: 4 dicas simples

 

  1. Gestão de Pessoas

 

Recrutar e reter talentos também é um grande desafio na gestão de clínicas médicas. Essa área também precisa de muita atenção, pois está diretamente ligada à experiência do usuário, por exemplo.

 

Portanto, algumas ações podem auxiliar na melhoria do trabalho da equipe. Confira:

 

  • Incentive a participação em questões estratégicas
  • Dê voz aos funcionários. Crie um ambiente onde ele / ela não apenas se sinta seguro para opinar, mas também motivado para debater assuntos-chave.

 

Oferecer programas de incentivo

 

Esta, aliás, é uma das medidas que auxiliam no engajamento e recrutamento de bons profissionais. Pode consistir em recompensas em dinheiro ou experiências de vida, como viagens, por exemplo, de acordo com o desempenho do funcionário e os resultados entregues.

 

Defina um plano de carreira

 

A estagnação da carreira é uma das principais desmotivação entre os profissionais. Portanto, ofereça um plano de carreira claro e atraente para que sua equipe conheça suas chances de desenvolvimento.

 

Invista em treinamento

 

Como o setor de saúde está em constante evolução, é fundamental que seus funcionários recebam treinamento em seu consultório. Além disso, essa ferramenta melhora a motivação e a qualidade do serviço, mais uma vez com reflexos positivos na experiência do paciente.

 

Educar os colaboradores para o uso de novas tecnologias é fundamental

 

  1. Presença digital

 

A ascensão da internet e das mídias sociais torna imprescindível que marcas e empresas estejam presentes e acessíveis aos clientes. Isso inclui seu escritório. A maioria dos pacientes busca na internet informações sobre os serviços. Portanto, vale a pena apostar em um site da sua clínica, além de perfis nas redes sociais como Facebook e Instagram. Afinal, hoje em dia essas são importantes ferramentas de comunicação para fidelizar o usuário.

Sem dúvida, a propaganda pode ser um aliado poderoso para aumentar a visibilidade da sua clínica e criar um vínculo de confiança com o seu paciente. No entanto, existem regras rígidas a serem seguidas à risca na hora de divulgar informações e serviços nesse setor.

 

Marketing Digital para Médicos: Você na era da internet

Apesar de ser uma função que precisa estar em constante aprimoramento, a eMed está aqui para te ajudar nessa missão. Há mais de 20 anos no mercado, com mais de 300 clientes satisfeitos, nosso software te trará inúmeros benefícios na gestão e organização da rotina da sua clínica ou consultório médico. Entre em contato com a nossa equipe comercial para saber mais do nosso produto.

Clínica conectada: tenha uma Gestão Global

A transformação digital na área de saúde é o impacto positivo da tecnologia na área de saúde, ainda mais quando se busca ter uma clínica conectada para melhorar a gestão do seu negócio.

 

Se você quer ter uma clínica conectada para ter uma gestão global, você como uma empresa de saúde, provavelmente sabe que acompanhar a transformação digital na área de saúde pode ser desafiador.

 

Decidir em quais tecnologias vale a pena investir e fazer com que sua equipe participe das mudanças costuma ser a parte mais difícil. Isso significa abrir mão de processos de negócios desatualizados e confiar que a mudança trará grandes resultados.

 

 

Inovação é o nome do jogo. Com o objetivo principal de agilizar o trabalho dos médicos, otimizar sistemas, melhorar os resultados dos pacientes, reduzir o erro humano e diminuir os custos por meio de experiências incríveis na web e em dispositivos móveis. Infelizmente, as indústrias de saúde e farmacêutica ficaram para trás quando se trata de implementar estratégias digitais. Sim, você leu certo!

 

 

Na verdade, em uma pesquisa recente, apenas 7% das empresas de saúde disseram que se tornaram digitais, em comparação com 15% das empresas de outros setores. Graças à tecnologia, os pacientes recebem um tratamento melhor com ferramentas de realidade virtual, dispositivos médicos vestíveis, telessaúde e tecnologia móvel. Os médicos, por outro lado, podem agilizar seus fluxos de trabalho usando sistemas movidos por inteligência artificial.

 

 

Matriz de gerenciamento de tempo: o que é, como funciona

 

Digitalize e tenha sua clínica conectada e consiga uma gestão global

 

1) O aumento da assistência médica sob demanda

Quando você pensa em ‘sob demanda’, você pensa em consumidores que querem as coisas da sua própria maneira, em seu próprio tempo e onde quer que estejam. O setor de saúde está entrando na era da inovação digital, à medida que os pacientes procuram atendimento médico sob demanda devido a suas agendas lotadas. O celular é especialmente importante quando se considera o marketing de conteúdo.

 

 

As pessoas simplesmente se tornaram muito mais móveis na última década. Mobilidade é a palavra, e estatísticas recentes mostram que mais de 50% de toda a navegação na web no mundo ocorre em dispositivos móveis.

 

Uma das primeiras regras do marketing de conteúdo é que você deve identificar onde seus consumidores-alvo se reúnem e alcançá-los nessas plataformas, ou seja, móveis. O fato é que mais de quatro bilhões de pessoas no mundo todo estão na Internet e você pode começar a ver as possibilidades que a transformação digital na área de saúde oferece.

 

 

De acordo com DMN3, os consumidores estão se conectando para obter informações médicas pelos seguintes motivos:

47% pesquisam sobre os médicos

38% pesquisam sobre os hospitais e as instalações médicas

77% marcam consultas médicas

 

2) A importância do big data na área de saúde

Big data agrega informações sobre uma empresa por meio de formatos como mídia social, comércio eletrônico, transações online e transações financeiras e identifica padrões e tendências para uso futuro.

Para o setor de saúde, o big data pode fornecer vários benefícios importantes, incluindo:

 

Secretária médica: mantenha-se saudável

 

  • Taxa mais baixa de erros de medicação – por meio da análise do registro do paciente, o software pode sinalizar quaisquer inconsistências entre a saúde de um paciente e as prescrições de medicamentos, alertando os profissionais de saúde e os pacientes quando há um risco potencial de um erro de medicação.

 

  • Facilitando o cuidado preventivo – um grande volume de pessoas que entram em consultórios são pacientes recorrentes, também chamados de “passageiros frequentes”. Eles podem representar até 28% das visitas. A análise de big data pode identificar essas pessoas e criar planos preventivos para evitar que retornem.

 

  • Equipe mais precisa – a análise preditiva de big data pode ajudar as clínicas a estimar as taxas de admissão futuras, o que ajuda a alocar a equipe adequada para lidar com os pacientes. Isso economiza dinheiro e reduz o tempo de espera na sala de espera quando uma clínica está com falta de pessoal.

 

Com esses benefícios em mente, as empresas de saúde devem investir na organização de seus dados. Com um melhor domínio do mercado, as equipes de marketing e vendas de saúde terão mais facilidade para identificar o consumidor ideal. E uma grande parte disso é criar uma persona do cliente, que compila informações demográficas sobre o que seus clientes em potencial querem e precisam e as plataformas onde você pode alcançá-los.

 

6 Dicas de Gestão do Tempo

 

3) Tratamento de pacientes com realidade virtual

 

Dez anos atrás, dizer às pessoas que você poderia reduzir a dor com um dispositivo semelhante a um videogame teria gerado muitos olhares em branco. Sua miríade de aplicações está mudando profundamente a maneira como os pacientes são tratados.

 

É o seguinte: milhões de pessoas ainda lutam contra a dor crônica. De acordo com o CDC, 50 milhões de adultos norte-americanos tiveram dor crônica em 2016. Para eles, a RV é uma alternativa mais segura e eficiente aos medicamentos. A tecnologia de RV está sendo usada não apenas para tratar a dor, mas tudo, desde ansiedade até transtorno de estresse pós-traumático e derrame.

 

E isso é apenas uma fração das capacidades comprovadas de VR na área médica. Outros usos incluem, médicos e residentes usando simulações de realidade virtual para aprimorar suas habilidades ou para planejar cirurgias complicadas. Os fones de ouvido de realidade virtual também podem motivar os usuários a se exercitarem e ajudar as crianças com autismo a aprender a navegar pelo mundo.

 

De startups a gigantes da indústria farmacêutica, todos estão apostando na RV e existem números para apoiá-los. A realidade virtual e aumentada global no mercado de saúde deve chegar a US $ 5,1 bilhões até 2025. Se você está planejando sua estratégia de marketing digital, deve considerar investir nessa tecnologia.

 

VR é um poderoso canal de comunicação que permite, entre outras coisas, ter uma noção melhor das necessidades de seus clientes e envolvê-los virtualmente com seus produtos ou serviços.

 

 

Recursos do sistema de gestão para clínicas médicas

 

Outras ferramentas e ações para conectar a sua clínica

 

Não menos importante do que tudo do que já falamos neste artigo, há ações de menor custo e aplicação rápida na sua clínica ou consultório médico, que te ajudarão na caminhada em busca da digitalização e modernização dos processos. Confira abaixo:

 

1) Rastreie e observe

 

Comecemos pelo princípio: passe algumas semanas rastreando o fluxo de pacientes em sua clínica. Você vai querer saber quantos pacientes vê a cada dia, quanto tempo passa com cada paciente, quantos pacientes estão lá pela primeira vez e quais dias são mais populares para as primeiras consultas. Essas informações podem ajudá-lo a identificar quando a carga de seu paciente está igual ou acima da capacidade e alocar um período de tempo apropriado para cada visita.

 

2) Oferecer agendamento online

 

A maioria das práticas médicas que oferecem agendamento online vê uma redução no trabalho da equipe, tempo de espera do paciente e não comparecimento, de acordo com um estudo publicado no Journal of Medical Internet Research. Seus pacientes apreciarão a conveniência de agendar consultas online. Enquanto isso, sua equipe apreciará gastar menos tempo em tarefas administrativas.

 

3) Use tecnologia

 

Automatize tarefas demoradas, como lembretes ao paciente, recargas de receitas e pagamento de contas. Implemente um sistema de chat para que todos em sua equipe possam se comunicar rapidamente. Fique de olho nas tecnologias que ajudam os médicos a prever não comparecimentos e agendar de maneira mais inteligente. Por último, certifique-se de treinar cada membro da equipe em todas as novas tecnologias para garantir que tudo funcione perfeitamente.

 

4) Realizar reuniões de equipe

 

Sua clínica sofre com o no-show? Saiba como resolver esse gap na sua gestão

 

Reúna-se com sua equipe todas as manhãs para discutir as necessidades dos pacientes que chegam naquele dia e criar um plano para gerenciar o tempo e os recursos. Em reuniões subsequentes, destaque os problemas do paciente que ocorreram e ofereça maneiras de evitar que esses problemas aconteçam novamente. Essas reuniões não precisam durar muito – até mesmo uma reunião rápida bastará – mas podem ser muito úteis para evitar confusão e perda de tempo.

 

E agora, pronto para iniciar a gestão global da sua clínica médica integrada virtualmente? Pode parecer demais, mas a equipe da eMed está pronta para te ajudar a começar essa jornada. Nosso software oferece muitos dos serviços que foram citados, como: big data, agendamento online, a criação de um site personalizado para o seu negócio, agendamento online, gestão financeira, relatórios em tempo real, e muito mais. Entre em contato e saiba como podemos te ajudar nisso.

 

 

 

Recursos do sistema de gestão para clínicas médicas

Você sabe para o quê os profissionais de saúde não têm tempo? Tarefas menores de entrada de dados e o microgerenciamento de sua prática. Felizmente, você não precisa se preocupar com essas coisas ao implementar o sistema de gestão para clínicas. 

Mas o que você precisa saber antes de tomar a decisão de qual sistema de gestão para clínicas escolher? Primeiro, você precisa saber qual dos muitos recursos de gerenciamento de prática médica deseja utilizar. Os recursos oferecidos pelas plataformas de sistema de gestão para clínicas são frequentemente versáteis e flexíveis. O ideal é escolher um que atenda às suas principais necessidades. Confira abaixo os principais pontos.

 

Características principais de um sistema de gestão para clínicas médicas

O sistema de gestão para clínicas não economiza apenas tempo e despesas. Essas ferramentas tornam o consultório mais seguro, integrado, organizado, eficiente e ágil. Os pacientes podem acessar a agenda online para marcar consultas,  os colaboradores podem executar suas tarefas com mais rapidez e assertividade, o financeiro verá uma redução nas glosas, você terá total controle de estoque, acessos mais rápidos e seguros no prontuário eletrônico, relatórios em tempo real para  tomada de decisão e sua clínica estará totalmente integrada. Investir em um software pode mudar completamente o ritmo da sua clínica médica.

 

Sua clínica sofre com o no-show? Confira aqui dicas para reduzir as taxas

Um sistema completo vem com uma ampla gama de recursos, incluindo gerenciamento de registros médicos eletrônicos, funcionalidade de software de faturamento médico, administração de documentos, interfaces de gerenciamento de pacientes, agendamento de pacientes e gerenciamento de referências, entre outros. Compilamos uma lista de verificação abrangente de requisitos de sistema de gestão clínica para ajudá-lo a começar:


Sistema de Gestão com Agendamento

As instituições do setor de saúde podem simplificar suas operações e melhorar seus fluxos de trabalho implementando sistemas de gerenciamento de prática médica que alavancam tecnologia avançada. Essa otimização pode começar com o processo de agendamento do paciente.

O sistema de gestão clínica permite que você agende as consultas do paciente. Em seguida, eles receberão lembretes de compromissos automatizados, reduzindo as faltas e melhorando o desempenho da sua clínica.

 

  1. Agendamento de consulta do paciente
  2. Lembretes de compromissos
  3. Agendamento médico
  4. Agendamento de salas
  5. Programação de equipamentos

 

Dicas de organização da rotina na Clínica Médica

 

Cobrança, um sistema de gestão com controle financeiro

O faturamento é o mal necessário que mantém os prestadores de serviços de saúde prestando serviços de saúde. O sistema de gestão para clínicas sempre garante a precisão de todos os processos de reclamações e faturamento, tornando mais fácil para os gestores tirarem essas tarefas do caminho.

  1. Todo processo online, sem o uso de papéis
  2. Envio de guias dos atendimentos no formato eletrônico XML
  3. Integração com os portais ou a Orizon

Informação do paciente

Os sistemas de gestão para clínicas são usados ​​para capturar informações do paciente, incluindo o nome, endereço, contatos e detalhes do convênio, se houver. 

Essas informações não se limitam a idade e informações de contato – os sistema mantém o controle dos medicamentos atuais que um paciente está tomando e quaisquer alergias que ele possa ter, a fim de evitar interações ou reações perigosas. Isso pode literalmente salvar vidas. Os dados armazenados em um sistema de gestão incluem todo o prontuário médico do paciente.

 

  1. Prontuário eletrônico, com imagens e fotos
  2. Exames, diagnóstico, receituário, anamnese 
  3. PDFs para os prontuários médicos.
  4. Prescrição Digital

     

Sua clínica está preparada para atender a nova sociedade 60+?

Dicas de Gestão do Tempo e Produtividade


Relatórios, é fundamental para o controle e gestão na clínica médica

O relatório já foi escondido no software de business intelligence, mas é uma das subcategorias de crescimento mais rápido de quase todos os outros tipos de software de negócios. O uso do sistema de gestão para clínicas que oferece recursos de relatório permite que a equipe clínica extraia dados detalhados sobre o desempenho financeiro e histórico financeiros, da empresa e/ou de pacientes. Isso permite que os usuários identifiquem lacunas de desempenho, identifiquem tendências e façam estimativas financeiras.

O sistema de gestão para clínicas ideal vem com relatórios predefinidos e permitem que os usuários projetem seus próprios relatórios personalizados. Alguns sistemas de gestão vêm com funcionalidades de relatório com sistemas de suporte à decisão ou funcionalidades relacionadas. Espere, você pode estar pensando, eu sou um médico, não um cientista de dados! Não se preocupe – os painéis apresentam os dados coletados por módulos de relatório em visualizações fáceis de interpretar, como tabelas e gráficos.


Telemedicina, um recurso fundamental do sistema de gestão para clínicas médicas

O último, mas não menos importante dos recursos, a opção de telemedicina é essencial nos dias de hoje. A telemedicina pode funcionar de diversas formas dentro das áreas de educação, assistência e pesquisa. Logo, suas principais áreas de atuação são: teleassistência, teleducação e emissão de laudos a distância.

Além de quebrar as barreiras geográficas e permitir que pacientes em todas as regiões do país tenham acesso fácil a serviços médicos especializados de qualidade sem a necessidade de qualquer deslocamento, a telemedicina aumenta a qualidade do atendimento prestado.

Além disso, também reduz os custos e permite que tanto o médico, quanto o paciente fiquem seguros e protegidos do Covid-19.

Guia da Secretária Médica: tudo o que você sempre quis saber sobre a profissão

O sistema de gestão é usado por organizações de saúde, tanto clínicas gerais quanto consultórios, para melhorar as operações e fornecer atendimento de qualidade ao paciente. Um bom sistema de gestão também ajuda esse setor a cumprir os regulamentos e requisitos da área. As instituições de saúde que operam com o sistema de gestão inadequado podem ser incapazes de operar de forma eficaz, o que pode resultar em um declínio na admissão de pacientes e diminuição das receitas a curto ou longo prazo.

A seleção do sistema de gestão para clínicas perfeito para você começar é sabendo do que você precisa – e agora você já sabe. A eMed busca sempre o melhor para os gestores de saúde, e por isso, busca sempre o aprimoramento dos seus módulos e ferramentas. Quem conhece a empresa sabe da excelência dos produtos e agora não será diferente.

Entre em contato agora e solicite mais informações. Se o mundo muda e evolui, a eMed te auxilia com a tecnologia. 

http://emed.com.br/

Dicas de organização da rotina na Clínica Médica

Quer você esteja falando sobre um conselho estudantil, grupo político ou força-tarefa especial, todas as organizações precisam de uma secretária. E falando especificamente da função de secretária de clínicas médicas, ela é indiscutivelmente a peça mais importante da empresa, pois ela é responsável por organizar, assimilar e disseminar informações dentro e fora da organização. É essencial que para o cargo a pessoa seja organizada, observadora, inteligente e possuir excelentes habilidades de escrita.

Como as secretárias desempenham responsabilidades essenciais dentro da clínica médica, muitas vezes não são vistas pelo público, mas podem ser vitais para ajudar uma empresa a se manter organizada e no caminho certo. Abaixo, seguem dicas de organização e rotina para o dia a dia.

 

Sua clínica está preparada o atendimento da nova sociedade +60?

 

Priorizar / Gerenciamento de Tempo

As estratégias que podem melhorar o desempenho para a maioria das funções, em uma clínica médica, são manter um espaço de trabalho organizado e priorizar projetos. Muitas vezes, as secretárias fazem malabarismos com muitos projetos diferentes ao mesmo tempo. Isso pode ser verdade especialmente para aquelas que trabalham como assistentes para mais de uma pessoa. A chave para o sucesso neste tipo de posição pode ser tão simples quanto manter uma lista de projetos em andamento que prioriza cada um em ordem de importância. Você pode determinar quais tarefas são urgentes estabelecendo metas para cada dia de trabalho: quais são as três a quatro tarefas principais que precisam ser concluídas? Escreva-os em ordem de importância e assinale cada um ao terminar, para se sentir realizado.

 

Faça anotações na agenda

Seja por meio de um sistema de calendário eletrônico ou de um prático organizador de notebook, faça anotações para controlar as programações e outros detalhes da clínica médica. Seja sistemática sobre isso. Ao anotar um compromisso: o nome da pessoa que solicitou a reunião, a data da reunião, do que se trata, outros detalhes necessários antes da reunião, quaisquer itens ou papelada que serão necessários para a reunião, a data e hora em que confirmou a reunião e a pessoa com quem falou.

 

7 dicas para administradores de clínicas médicas

 

Planejamento de tarefas

Designe uma parte de sua mesa como a área de “tarefas”, em vez de colocar notas adesivas e papéis em todos os lugares. Coloque os itens em uma caixa ou pasta em sua mesa e verifique-os periodicamente ao longo do dia. Conforme as tarefas são concluídas, remova os itens da mesa para uma “pasta concluída” ou para uma caixa para arquivamento. No início de cada dia, faça uma lista completa das tarefas do dia e coloque-a na pasta “afazeres”. Raspe as tarefas à medida que são concluídas. Adicione tarefas à medida que chegarem a você e, no final do dia, certifique-se de que tudo esteja concluído.

 

LGPD: você sabe exatamente o que é?

 

Planejamento semanal

Designe dias para tarefas semanais. Você pode organizar sua semana para que saiba, de alguma forma, o que fará. Por exemplo, escolha sexta-feira como dia do planejamento da semana. Dessa forma, você conseguirá ter uma visão de todas as atividades planejadas e pendentes da semana e organizar as prioridades.

 

Codificação de Cores

A cor é um auxílio visual simples e eficaz para as habilidades de organização. Usar o código de cores pode ajudá-lo a organizar o que precisa ser feito e quando. Sempre pense em quais tarefas você executa e com que frequência você as executa. Codifique semanalmente as tarefas de uma cor, como o vermelho; dê tarefas diárias em azul, tarefas mensais em amarelo e assim por diante. Coloque as tarefas em pastas de código, pegue seu calendário e marque o que precisa ser feito com um quadrado colorido atrás dele. Em calendários eletrônicos, digite as palavras nas cores da tarefa se você não conseguir fazer uma caixa. Uma vez que a fórmula da cor é oficial, os proprietários de negócios e funcionários podem trabalhar de forma rápida e precisa com as mesmas informações.

 

Utilize o WhatsApp da forma correta no ambiente da saúde

 

CRM na nuvem

Uma das ferramentas que mais auxilia na rotina e organização do dia a dia de uma secretária em uma clínica médica é ter um crm para o gerenciamento da empresa na nuvem. Isso porque, quando todas as informações estão centralizadas em um único lugar, podendo ter acesso a qualquer hora de qualquer lugar, o risco de erros é menor. A eMed é o software mais completo no Brasil. Desde agendamento de consultas até Business Intelligence, que é a geração de dados em tempo real, tudo o que você precisa para manter a clínica médica organizada e em perfeito funcionamento nós proporcionamos a você.

Se interessou e quer testar a ferramenta por 30 dias sem custo? Entre em contato com o nosso time de vendas e agende uma consultoria. Gostou deste material e quer ler mais? Acesse o nosso e-Book Guia Completo da Secretária Médica.

 

E-BOOK – Guia da Secretária Médica

Pensando em iniciar na carreira de secretária médica e não sabe por onde começar? Ou já está na profissão, mas está perdida quanto as funções e o dia a dia? Está precisando se atualizar e está sem tempo? Então você está no lugar certo! Nós da eMed, preparamos um guia completo para você organizar a sua rotina e dicas para se destacar na profissão.

 

Ao baixar nosso material exclusivo e gratuito, você encontrará as melhores ferramentas para te ajudar no dia a dia da clínica médica quanto à organização de tarefas, compromissos e gestão, além de livros que te ajudarão no aperfeiçoamento da profissão de secretária, e textos úteis e práticos com dicas para a sua rotina e dos gestores. E para finalizar, dicas de filmes para relaxar e curtir nos momentos de folga!

 

Baixe agora, clique AQUI e tenha o mais completo conteúdo para te ajudar na profissão de secretária médica!

 

7 dicas para administradores de clínicas

Os custos crescentes de saúde, o advento da tecnologia em meio a pandemia, são itens que os administradores de clínicas precisam estar atentos e preparados para as mudanças. Hoje, muitos esforços em torno de resultados e segurança do paciente, eficiência e redução de custos devem estar em andamento e iniciativas de redesenho de cuidados estão sendo avaliadas para orientar futuras melhorias na qualidade da saúde. As dicas a seguir podem ajudá-lo em seus esforços na ótima gestão da sua clínica.

 

1) Analise seus dados e resultados

Como conhecido especialista em gestão, Peter Drucker, disse a famosa frase: “Se você não pode medir, você não pode gerenciá-lo.” Antes de começar a fazer melhorias ou propor novas demandas na sua clínica, primeiro você precisa saber quais oportunidades existem para melhorias e, em seguida, estabelecer os resultados básicos. Em seguida, examine as tendências e estatísticas da saúde, estudos de resultados e outras fontes de dados para identificar as principais áreas e departamentos que precisam de melhorias.

 

2) Estabeleça metas

Com base nas conclusões do item um, estabeleça metas concretas e mensuráveis ​​nas áreas que você identifica como mais necessidade de melhorias e comece um plano de ação. Estes devem ser precisos e de natureza quantitativa. O Instituto de Medicina (IOM) delineou cinco objetivos para gestores estarem sempre atentos e criarem suas estratégias de administração, que podem orientar as clínicas com metas de melhoria e crescimento contínuo. De acordo com o Instituto os pilares devem ser:

 

Eficiência: evite o uso excessivo de cuidados ineficazes e subutilização de cuidados eficazes.

Centrado no Paciente: honre o indivíduo e respeite sua escolha.

Qualidade no atendimento: reduza a espera dos pacientes e daqueles que prestam atendimento.

Gastos: reduza o desperdício.

Equitativo: elimine as lacunas raciais e étnicas nos centros de saúde.


WhatsApp na Saúde: benefícios e utilizações, saiba como utilizar

 

3) Crie uma equipe equilibrada

Uma equipe eficaz deve ser composta por membros com diferentes origens, habilidades e níveis de experiência variados. Segundo o Instituto, formar uma equipe equilibrada é uma das principais etapas do processo de gestão de uma clínica. A equipe deve incluir um líder sênior que possa aconselhar, supervisionar e defender a equipe; um especialista clínico que possui a formação necessária para tomar decisões clínicas; e um gerente de projeto que pode realizar as tarefas do dia a dia e manter a equipe no caminho certo.

 

4) Crie um plano executável

Para atingir seus objetivos de maneira oportuna e eficaz, você deve criar um plano de gestão alcançável. Isso inclui medidas específicas, protocolos para obter essas medidas e definições específicas para melhorias que serão obtidas de seu trabalho de definição de metas e análise de dados. Certifique-se de ter um sistema organizado para rastrear seus dados e medições. Você também pode conferir o nosso infográfico sobre os principais indicadores de gestão em saúde.

 

5) Comunicar objetivos e progresso

Assim que seu plano de gestão estiver em andamento, certifique-se de se comunicar com sua equipe e com a clínica em geral. Compartilhe marcos grandes e pequenos, bem como contratempos. Parabenize aqueles que contribuíram e causaram impacto em seu progresso. Seu plano tem mais chances de sucesso quando a equipe está envolvida.

Fluxo de caixa positivo: 4 dicas simples para ajudar na sua gestão

6) Pesquisar outras organizações e colaborar

Certos sites, como a ANS – Agência Nacional de Saúde Suplementar, permite que consumidores e trabalhadores do setor de saúde visualizem dados e tendências na área da saúde. Analise os dados e veja quais organizações se destacam em uma área específica em que você deseja melhorar. Pesquise também nos sites oficiais no governo, onde diversos dados e materiais são disponibilizados para a melhoria das gestões em saúde.

 

7) Utilize ferramentas que facilitem o processo

Com tudo que um gestor precisa analisar e focar, contar com uma ferramenta de gestão que seja eficiente e completa, pode ajudar muito no processo de melhoria e crescimento da clínica. A tecnologia está ao nosso dispor para melhorar e ajudar no crescimento rápido das organizações da saúde. Desde agendamentos até o uso do BI (Business Intelligence) para a tomada correta das decisões, a partir de dados reais e atuais.

 

E você gestor, no que precisa melhorar a gestão da sua clínica médica? Quais os pontos precisam ser desenvolvidos? Com todas as informações em uma única plataforma, ter uma visão ampla da sua clínica com relatórios em tempo de real de gastos e dados gerais, permite que você foque na administração, na melhoria e no crescimento do seu negócio. Conte com a eMed para a gestão digital da sua clínica médica. Entre em contato e solicite uma demonstração no nosso sistema!

 

Leia também: LGPD: você está preparado?

 

Solicite sua Demonstração AGORA!

No Sistema de Gestão para Clínicas da eMed, você encontra soluções que unem gestão de serviços, produto e atendimento personalizado. Conheça por que somos o mais completo software de gestão médica do Brasil!


eMed Tecnologia - Todos os Direitos Reservados | Politica de Privacidade